Petróleo nas praias

Não adianta ficar todo mundo espalhando palpites e cobranças ao IBAMA, ou aos técnicos de meio ambiente, para responsabilizá-los por esse desastre ecológico.

Petróleo tem DNA. Não há reservatórios com óleos iguais.

No Brasil, nunca foi encontrado esse tipo de óleo com viscosidade API 12 ou 13. Somente vi registro desse tipo de óleo no Bakersfield, na Califórnia, e em Anaco, na Venezuela. É um óleo quase igual a piche. Lá no Bakersfield, o petróleo caído no chão, permite andar em cima, como se fosse um asfalto, e com certeza os 50.000 poços lá perfurados já se esgotaram.

O petróleo da Anaco é ainda mais pesado que o da Bakersfield, e é abundante. Somente conseguiram produzi-lo injetando óleo diesel para dissolvê-lo, permitindo o bombeamento para a superfície. Se aparecer também óleo diesel na superfície do mar, certamente é da Anaco. Ou seja, o óleo derramado é Venezuelano.

Se não existir diesel, pode ter havido uma fenda na crosta terrestre e esse óleo do pós-sal aflorar no fundo do mar. No reservatório, ele está quente e fica fluido, podendo vir à superfície enquanto houver pressão no reservatório. Porém, ao chegar no mar, esfria e vira os blocos de piche que as fotos mostram.

A possibilidade desse óleo ser transportado em navio é remota, pois exige aquecimento para ser bombeado. Em terra firme, o tanque onde é descarregada a produção, e o carro-pipa que o transporta para as refinarias são aquecidos por maçarico permanentemente. Esse óleo tem valor de mercado apenas se houver refinaria com craqueamento capaz de transformar moléculas pesadas em duas leves.

O problema é acabar com essa poluição. Como?

1. Peçam à Marinha para localizar onde está flotando o óleo do fundo do mar. O óleo é mais leve que a água, e se for por uma fenda, sobe, vai esfriando, e chega em uma área restrita na superfície, a partir de onde se espalha.
2. A Petrobras tem geólogos que podem explicar as possibilidades desses vazamentos. Consultem, pois eles têm competência.
3. Se for uma fenda e precisar ser vedada, consultem Doutora Guedes, diretora de produção da Petrobras até recentemente, ou o atual Diretor de Exploração. Não adianta perguntar a quem não tem conhecimento amplo em matéria de Petróleo.
4. Essas informações são somente para ajudar quem busca solução. A pessoa informada trabalha melhor. Existe a alternativa de deixar a natureza resolver o assunto se for um problema de fenda marinha, mas é impossível saber o tempo que levará essa alternativa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s