Em país sério, Gilmar estaria demitido

O Ministro do STF não pode ser demitido por ser funcionário público na Alta Corte de Justiça e atualmente no TSE. Por se sentir protegido, virou o defensor dos corruptos políticos.

Quando as ações no TSE indicaram voto pro-cassação da chapa Dilma-Temer ele teve uma reunião longa com o núcleo duro do governo Temer. Um juiz do STF negociar com o Poder Executivo? Isso não está previsto na Constituição…

Gilmar diz: vazamentos é eufemismo para crime. E acusa Procuradoria (PGR) por crime pelos vazamentos. Como se assume como defensor dos corruptos (por uma questão de ética devia licenciar-se do STF para emitir suas opiniões) porque ele mesmo não processa o Procurador Geral da República pelo crime que ele afirma que Janot cometeu, com letras garrafais em jornal de grande circulação?

Gilmar afirma que vazamento é forma de chantagem. Chantagem para quê? Ninguém está exigindo propina, estão somente denunciando propinas recebidas pelos chantagistas empoleirados no governo.

Tentar eliminar vazamentos nas esferas do governo é inútil porque existem muitos funcionários públicos que, por uma propina divulgam tudo, semelhante ao desvio de recursos públicos com a devida propina que está sendo criminalizada.

Em seguida, o Ministro “acusa a PGR novamente de crime e defende anulação das delações”. O que ele tem com esses procedimentos que estão sendo monitorados com cuidado pela justiça, exatamente dentro da Lei? Está mandando um sinal para o Congresso dos corruptos fazerem e aprovarem uma lei para a qual ele daria cobertura no STF? Está usando o STF para auxiliar de sua ação de defender corruptos? O que estão lhe prometendo para tumultuar e prorrogar os processos no STF?

“Gilmar pediu descarte de provas”: toda a sociedade sabe que estavam roubando o país!

Quando a Polícia Federal consegue identificar os ladrões com provas, vem o Ministro Gilmar fazer um discurso, na 2ª turma do STF, afirmando que os vazamentos podem gerar o descarte das provas. E os advogados, por sua vez, querem anular o acordo de delação com as empreiteiras.

Tudo porque foram divulgados os números de processos: 320 no total, sendo 83 para o STF. São todos funcionários públicos, pagos pelo povo e sujeitos à Lei da Transparência. Eles têm obrigação legal de fornecer esses números. O sigilo é restrito às pessoas e foi observado. Quem devia ser processado é o Ministro Gilmar, por defender publicamente o descumprimento dessa Lei.

“Reforma eleitoral opõe Gilmar e ministro do governo Temer” é a manchete do Globo de 21/03/17. Que impertinência um juiz, que por atribuição tem que ser independente e se concentrar nos processos sujeitos à decisão no STF, publicamente vir à mídia dar um palpite pessoal, procurando interferir em decisões exclusivas de outro poder.

Não adianta Gilmar! O povo já alertou o Congresso que a Lava-Jato não pode ser anulada.

Agora vem você tentar resolver isso no tapetão do STF. Olhe, o povo ainda respeita o STF e a clarividência e brasilidade de sua Presidente, Cármen Lúcia. Você vai se aposentar com esse estigma de ter traído o patrão que lhe paga? O povo não esquecerá.

Anúncios

Uma resposta para “Em país sério, Gilmar estaria demitido

  1. Caro Comndante Didier, em particular, eu e milhões de brasileiros que praticam o slogan Ordem e Progresso NÃO acreditamos na lisura e responsabilidade dos três poderes constituídos em voga!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s