Reforma Tributária do Imposto Único

É a CPTF que precisamos! Não é a que o Governo está querendo para gastar. É a do imposto único para recolocar o país nos eixos. Leia aqui a íntegra da PEC 474.

Essa reforma tributária: acaba com a crise, não haverá mais inflação. O contribuinte paga 3% sobre todas as transações bancárias.

Em compensação, deixam de existir os impostos industriais como IPI, ICMS, PIS, COFINS, e o ISS; desaparecem os impostos financeiros IOF e Imposto de Renda. O Leão seria aposentado.

Sem o desconto do imposto de renda, seu salário mensal aumenta.

Sem os impostos a vida fica muito mais barata: comida, luz, gás, telefone, gasolina.

Ficam canceladas todas as isenções ou redução de alíquotas de importação, ficam canceladas as leis do REPETRO e do REPORTO.

Hoje só metade da sociedade paga imposto. Como todos pagarão essa CPTF, o imposto de cada um vai cair para a metade.

Desaparece a legislação tributária especial das micro e pequenas empresas, não seria permitido existir qualquer imposto de exportação.

A alíquota de importação é fixada em 20% para todo e qualquer produto, fora do Mercosul. Essa alíquota amarra os orçamentos da nação à movimentação financeira da economia. Os Orçamentos serão baseados na receita recebida pelos bancos através da CPTF.

Nenhum governo ganhará ou perderá com essa lei. Vão receber exatamente os orçamentos existentes na data de aprovação da lei. O Congresso é quem decidirá a distribuição.

O sistema tributário atual é um caos e associado à interferência sistemática do governo na economia, afastou definitivamente os investidores do país.

Como resultado temos: investimento zero, PIB e arrecadação menor todos os meses, indústrias encerrando as atividades (estão se mudando para o Paraguai!), lojas fechando, inflação alta, desemprego em massa, o povo cada vez mais pobre, e os governos sem dinheiro para pagar as contas. Se aumentar impostos a desgraça acelera e vai piorar a arrecadação.

Uma vez sancionada essa lei, ela somente poderia ser novamente alterada com concordância do povo via plebiscito. Essa exigência é fundamental para proteger a Lei das prerrogativas concedidas aos governos pelos artigo 145 e 146 da Constituição para alterar as regras da economia, razão de desaparecerem os investimentos nesse país, o que é a causa da crise.

Mesmo com todo o aparato de fiscalização e multas tributárias, metade do que deveria ser arrecadado é sonegado, devido à corrupção desenfreada. Essa reforma acabaria com o roubo, definitivamente. Permitiria dotar o país de um sistema tributário único, sustentável e permanente, sem interferências do governo, deixando o mercado livre para os investimentos da sociedade, sem que sejam necessários subsídios ou incentivos de qualquer natureza. A competição dentro das mesmas regras estabilizaria e agilizaria a economia.

Essa inovação debela a crise de imediato e esse país voltaria a crescer em 60 dias depois de aprovada e sancionada a PEC 474 com seu substitutivo (clique no link para ver a tramitação da proposta). Sendo aprovada, o governo passará a concentrar-se mais na administração dos encargos dos serviços que tem com a sociedade brasileira, que estão de péssima qualidade, e deixará o povo fazer funcionar a economia, sem sua interferência.

Os representantes no Congresso devem a esse povo essa PEC, em regime de emergência!

_ em 21/05/2016 por Antonio Didier

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s