Alerta aos Partidos Políticos

Depois de o Executivo enviar a proposta do orçamento de 2016 com um rombo de 32 bilhões de reais, causando uma reação de espanto e reconhecimento público da incompetência na execução de suas funções, o Governo passou a fazer propaganda dirigida de que agora estava em novos estudos, cortando as despesas na carne, e resolveram auscultar as reações do Congresso com os novos estudos.  Não querem somente zerar o rombo. Querem mais do dobro, sob a forma de imposto tipo CPMF com a desculpa de que é para pagar as despesas da Previdência.

Por que a previdência está com tamanha previsão de déficit? Devido às desonerações das folhas de pagamento. O Governo transferiu todas as contribuições dos empregados e das empresas destinadas ao INSS para receita no Governo Federal. Esse dinheiro seria para o Fundo de Aposentadoria do INSS, onde o Governo não podia meter a mão. Com a desculpa das desonerações, transferiram para a Receita onde gastaram tudo. É com recursos desse fundo que o INSS paga as aposentadorias.

O Governo deve ao Fundo uma montanha de dinheiro e a dívida é crescente. Querem a CPMF para cobrir esse rombo, motivado pelo desespero do Governo de manter alguma arrecadação. Mas não são honestos em suas ações. A enganação continua solta. O Congresso deve acabar com as desonerações de modo a manter o INSS viável financeiramente e não estourá-lo mais adiante.  Conseguiram transformar em fantoches do Executivo os Ministros do Planejamento e da Fazenda que, embora com diplomas de doutorado em economia, foram designados para a tarefa de convencer o Congresso da empulhação desenvolvida pelos órgãos do Executivo.

O Congresso deve rejeitar todas as novas  proposições de aumento de receitas do Executivo. Todas as receitas estão previstas em Lei e sempre foram suficientes para que o país funcionasse. Se o Executivo destruiu parte dessas receitas com a paralisação da economia, que consertem o estrago que fizeram.

O alerta aos Partidos Políticos é o seguinte: se o PT conseguir eleger o próximo Presidente da República, em pouco tempo esse país não terá mais qualquer partido que não seja o PT. E vocês, políticos, vão levar um chute e devem se preparar para o EXÍLIO. A solução para que isso não aconteça está nas mãos de vocês.

O Governo quer mais recursos para bancar as próximas eleições. Para proteção própria, não cedam a qualquer demanda de dinheiro. Os Estados também estão querendo entrar nessa ciranda de gastos. A mensagem para eles é: administrem seus recursos disponíveis. O povo já está sofrendo muito por exclusiva culpa dos Governos e já não aceita ser mais espoliado para alimentar esses perdulários do seu dinheiro.

Dona Dilma já deixou claro que não concorda em reduzir mais nada dos gastos que estão em volta dela e está querendo mais um monte de impostos via CPMF e outras fontes de receita para continuar comprando votos e garantir a eleição do PT em 2018. O Congresso deve usar o orçamento com déficit, cortar um percentual de todas as despesas sejam elas vinculadas ou obrigatórias, de modo a zerar o déficit. Aprovar o orçamento equilibrado e devolver ao Executivo para executá-lo. Com essa decisão, ambos os poderes estão exercendo suas funções constitucionais.

O PT passou o primeiro mandato de D. Dilma saqueando onde tinha dinheiro para financiar esse esquema de ganhar a eleição comprando votos com o Bolsa Família e com o Minha Casa Minha Vida. Foram saqueados: a Petrobras, a Eletrobrás, o FGTS – Fundo de Garantia de Tempo de Serviço, o FAT – Fundo de Auxílio ao Trabalhador, o Banco do Brasil, o INSS, o Fundo de Aposentadoria dos  empregados dos Correios. Nomearam 22.500 cargos de comissão sem concurso, com salários em torno de 7 mil reais por mês, gerando despesa mensal de 52 milhões, de onde o PT recebe um dízimo, isto é, cerca de 5 milhões/mensais atualmente. Tudo isso foi feito com um Congresso comprado, o que transformou o país em uma Ditadura do Executivo que fazia o que queria e o Congresso
tinha de aprovar.

A ditadura acabou! O PT sempre foi contra a ditadura dos militares. A experiência dos povos do mundo já provou que nenhuma ditadura serve ao povo. A diferença é que a dos militares não tinha ladrões, e no PT é só o que tem, inclusive entre o pessoal que o apoia. O Congresso resolveu não se vender mais e agora está buscando a independência nas suas decisões. O Governo do PT já provou que só governa visando as eleições, e que só sabe trabalhar desviando para si dinheiro que pertence aos outros. Para os políticos preservarem a si mesmos e seus partidos, basta não aprovar qualquer novo recurso para o Executivo. Este já foi alertado para o caos a que estava conduzindo a economia. No entanto, não quis saber, tinha de ganhar as eleições. Enganou e ganhou. Agora cabe somente a ele consertar o estrago que fez na economia. O PT é minoria no Congresso, e o Congresso não foi eleito para ajudar o PT nessa tarefa, e não deve mesmo ajudá-lo, porque a maioria do povo é contra, e o Congresso representa essa maioria.

O PT quer mais dinheiro do povo para pagar as contas, mas não apresenta qualquer programa para consertar a economia que não consegue mais contribuir para a arrecadação da Receita Federal. Se não tem competência para trabalhar, que RENUNCIE. Depois da renúncia, o Congresso deve ajudar a restabelecer as condições para a economia funcionar.

Se o Governo quiser insistir em ganhar as próximas eleições mesmo com a economia arrasada, que o faça, mas sem roubar. O Congresso, a Polícia Federal e a Justiça e o povo devem ficar vigilantes para não deixar continuar a roubalheira. Chega!

O Presidente da Câmara assumiu o movimento de coibir o roubo do dinheiro dos trabalhadores, colocando em votação a regra de pagar a esses fundos os juros da caderneta de poupança, mais TR, no caso de pedidos de empréstimos a esses fundos. Passaram dois anos se apropriando de dinheiro desses fundos a juros de 3%, aprovados pelo Conselho Curador para onde o Governo nomeou maioria. O que faz o Governo nesse Conselho? Certamente já fizeram isso com a intenção de roubar. Esse dinheiro é dos trabalhadores e somente os contribuintes para os fundos deveriam participar do Conselho. Com uma inflação de 6,7%, pagar juros de apenas 3%/anual, equivale a gerar prejuízo ao trabalhador. Com os 9,5% de inflação, em breve não sobrará quase nada do dinheiro dos trabalhadores!

Os sindicatos que deveriam bradar defendendo os trabalhadores foram todos comprados pelo Lula com o imposto sindical para ficarem mudos. Esse desvio de dinheiro dos trabalhadores é tão imoral que o Congresso resolveu dar um basta e já está em discussão uma proposição para obrigar o pagamento mínimo dos juros das cadernetas de poupança em qualquer desses empréstimos.

Aí vem a propaganda do Governo dizendo que o Presidente da Câmara estava inviabilizando os recursos do Governo. Ora, é com esse roubo que estão construindo as casas do Programa Minha Casa Minha Vida porque isso garante votos nas próximas eleições.

O deputado Rodrigo Maia, relator do processo, foi pressionado pelo Governo para não aprovar a proposta dos juros da caderneta aos fundos dos trabalhadores, e esse bobão certamente se vendeu para fazer o escalonamento do roubo para atingir os juros da caderneta somente em 2019, isto é, vai continuar permitindo a Dona Dilma desviar durante todo seu segundo mandato dinheiro do Fundo de Garantia. Desde quando os trabalhadores deram procuração a ele para agir dessa maneira. Ele não representa ninguém, mas está numa casa que representa o povo. Com que direito pode legalizar a destruição do patrimônio dos trabalhadores? Rapidamente a propaganda do Governo colocou em manchetes nos jornais “O Governo perde menos e Câmara muda FGTS.” Título enganador e mentiroso, como tudo do Governo. Na realidade esse título devia ser “O Governo rouba menos com os empréstimos do FGTS.” O Congresso é a última defesa do povo para cancelar esse abuso e todos os outros desse tipo.

Arquivem o relatório do Rodrigo Maia e mantenham a posição inicial da Casa que é honesta, cobrando juro de caderneta de poupança nesses empréstimos. Ainda assim é muito barato. Está muito abaixo dos juros do mercado. A Caixa Econômica Federal cobra no seu SFH – Sistema Financeiro de Habitação, juros de 8% a 10%. Mesmo pedindo emprestado a juros das cadernetas, eles ainda têm uma boa margem para comercialização. Isso se aplica a todo o povo brasileiro. Por que para o Minha Casa Minha Vida tem que ser diferente?

É para atender a pessoal de renda mais baixa? Não acredito que o povo brasileiro seja contra isso, mas deve ser com dinheiro do orçamento, e nunca com dinheiro roubado dos trabalhadores.

Congressistas – não abandonem o povo que os elegeu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s