Comentários sobre Aécio Neves

No meio da crise estarrecedora por que passa o país, deixei de fazer artigos para meu Blog para comentar as posições, críticas e pronunciamentos de alguns políticos que se julgam líderes, mas na realidade não lideram nada. Os comentários publicados são de um brasileiro, engenheiro, com mestrado e doutorado nos EUA, com 91 anos, apolítico, tendo acompanhado de perto e contribuído significativamente para o  desenvolvimento desse país.

O Senador Aécio Neves acaba de colocar nos jornais que agora é a vez dele e que está preparado e pronto para assumir a Presidência da República no caso de, por decisões legais, forem programadas novas eleições.

Primeiro, se o PSDB quiser ganhar, vai ser difícil eleger o Aécio. Na eleição de 2014 ele foi candidato e perdeu por total incompetência. Fiquei convicto que se ele tivesse sido eleito, o país estaria numa situação pior do que está hoje.

Ele diz estar preparado. Mas… Quais são as suas propostas? Qual é sua análise da situação? Na última eleição o seu programa de governo era “MAIS DO MESMO”. Naquela altura já se sabia que o país caminhava para PIB zero, indústria se deteriorando há mais de um ano e inflação no topo da meta. Era isso mesmo que o povo queria? Não perguntaram ao povo que ia votar se concordava com esse programa.

E, no programa da eleição, Aécio tinha no seu grupo o Dr. Arminio Fraga, que considero o melhor economista desse país. Mas gente ignorante se sente diminuída quando ouve orientação correta de gente culta e experiente como o Armínio. O Aécio, como líder desse grupo, tinha de ter alguma competência para, ao menos, orientá-lo na direção correta. Sem essa liderança, sai uma colcha de retalho de palpites. E assim eles foram para as eleições sem programa nenhum.

Ele pediu um voto de confiança nele porque era bonzinho. Ora, imaginem. Um mês antes das eleições escrevi uma carta a ele dizendo que 75% do povão exigia mudanças e ele tinha de, ao menos, propor uma mudança no seu programa. O presidenciável nem tomou conhecimento. Deu as costas para o povão e o povão deu as costas para ele.

Agora mais uma vez mostra o seu desprezo pela vontade do povo. De acordo com o IBOPE, 85% da população quer acabar com essa maioridade penal de 18 passando para 16 anos. E o Alckmin e ele estavam contra, e queriam levar o PSDB a votar de modo contrário, porque tinham outra proposta. Votar contra o povo é suicídio político de quem vive de voto. E ele esquece de que é um representante do povo.

O Congresso representa o povo e deve votar de acordo com a vontade de sua maioria. É difícil uma maioria de 200 milhões estar errada. Bem, pode até estar, mas é isso que é a democracia. Enfiar pela goela o que o povo não quer é ditadura.

O Congresso debateu a reforma do sistema eleitoral: o sistema do Brasil é talvez o pior do mundo. Aqui são os partidos que indicam em quem se deve votar. Não há possibilidade de o povo registrar um candidato próprio. Uma vez eleito, elegeu-se um Semi-Deus. Faz o que quer, vende-se sem cerimônia. Não representa ninguém nem partido nenhum e vive arrumando dinheiro para a próxima eleição, algumas vezes através de corrupção. Isso sem qualquer risco de perder mandato ou de sequer ser advertido. A maioria do Congresso preferia o Distritão, mas Aécio queria o sistema distrital misto, como é na Inglaterra.

Duvido que ele tenha ido lá e discutido com os ingleses as vantagens e desvantagens de tal sistema. O problema brasileiro é que tinha ganho uma luz no túnel para melhorar seu sistema eleitoral via  Distritão. O PSDB foi contra e, como se trata de uma PEC, precisaria de 2/3 dos votos da Câmara. Sem o PSDB não dava para aprovar, e o projeto foi arquivado. Além de não saber o que faz, o PSDB ainda atrapalha os trabalhos da maioria.

O deputado Eduardo Cunha liderou um grupo de deputados cansados de serem alijados das decisões das leis que regem o país, e que resolveu ter candidato próprio à Presidência da Câmara. O país havia passado 10 anos com os picaretas do Congresso comprados pelo Governo, convertendo o Poder Executivo em um ditador onde só D. Dilma e o PT mandavam. Se esse grupo de não comprados ganhasse a eleição para Presidente da Câmara, o Congresso – que é a casa do povo – voltaria a funcionar. Foi a oportunidade de acabar com a ditadura do PT.

O Aécio inventou outro candidato que nem do partido dele era, e fez pressão para que o PSDB seguisse sua orientação. Felizmente a maioria do PSDB votou a favor do Eduardo Cunha e o candidato do PT foi derrotado. O país voltou a ter um Congresso independente.

Está na hora do PSDB mandar o Aécio para casa. Hoje, ele não ganha qualquer eleição. Nunca vi tanta ignorância política e não adianta referir-se ao Tancredo Neves, que era um político nato, porque essa conversa não cola mais. Ele deve ter feito um governo muito medíocre em Minas Gerais, pois conseguiu o que ninguém esperava: perdeu em seu reduto eleitoral. Perdeu a eleição para Governador e deu a D. Dilma a maioria de votos no Estado. Se não serve como político, nem como administrador, o melhor é sair da vida pública e parar de ficar dando entrevistas utilizando sua condição de senador e presidente do PSDB, com conteúdo de garoto deslumbrado com o que ele considera “suas possibilidades”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s