Resumo sobre os Governos – da Constituição até hoje

Com o regime constitucional de 1988 vigente,  José Sarney assumiu a Presidência da República após a morte de Tancredo Neves, presidente eleito pelo Congresso da transição – volta ao regime democrático civil no país.

Em seguimento a uma austeridade fiscal e financeira própria do regime militar, certamente por completa falta de preparo para o exercício da Presidência, foram sendo liberados os gastos do Governo – e a inflação não perdoa excesso de gastos.  No Governo Sarney, a inflação chegou a 50% por mês. Tornou-se muito difícil fazer qualquer transação financeira no país. O Brasil precisava acabar com esse absurdo urgentemente.

Apareceu um oportunista, com a propaganda de ter feito um excelente Governo nas Alagoas e prometendo “um tiro na inflação”. Chefe de um partido nanico, Fernando Collor foi eleito  Presidente.  Aplicou a tática quando no governo alagoano de chantagear as empresas com pressões do Ministério da Fazenda seguido do envio do empresário e consultor financeiro Paulo Cesar Farias pronto para resolver o problema criado pelo Governo, e para cada caso tinha um custo pelo seu trabalho. Falava-se à época que eles já tinham em paraísos fiscais  um montante acumulado de 1 bilhão de dólares no fim do primeiro ano de governo, e pretendiam acumular 6 bilhões até o final dos 4 anos para terem recursos suficientes para comprar os Congressistas, alterar a Constituição e permitir a re-eleição de Collor. Planejamento simplório. Esqueceram os efeitos colaterais. O povo se levantou contra essa corrupção oficial e pela primeira vez na história do mundo um governo foi deposto por pressão do povo, sem sangue e sem violência. O Brasil é um pais diferente e pode até fazer isso de novo provocando o “Impeachment” de Dilma.

O Vice-Presidente Itamar Franco, um engenheiro sério, assumiu o país numa perturbação total produzida pelo Plano Collor, e com serenidade foi conduzindo o país a um  funcionamento possível.  Sem a orgia de gastos, a inflação foi diminuindo e várias tentativas de estabilizar a moeda num país indexado foram nos aproximando de uma solução, creditada ao Ministro da Fazenda da época, Fernando Henrique Cardoso, que assim gerou prestígio para se candidatar e se eleger Presidente pelo PSDB em 1996.

FHC domou a inflação, estabeleceu regras e leis de comportamento financeiro e fiscal, e essa estabilidade financeira permitiu o país voltar a se desenvolver e a estrutura governamental se tornar mais eficiente. O sucesso despertou a ambição.  A ideia de re-eleição de Collor comprando o Congresso para mudar a Constituição voltou e coube ao  Ministro Motta coordenar essa atuação. Funcionou. A Constituição passou a admitir uma re-eleição e FHC foi re-eleito.

Quando começou a pressão para saber a origem do dinheiro para essa compra dos votos discordantes do Congresso, o Ministro Motta faleceu e o assunto morreu. Porém o segundo mandato de FHC foi completamente diferente do primeiro. Foram privatizadas muitas empresas estatais, inclusive  todo o sistema de telecomunicações, e o que ficou extremamente esquisito foi o BNDES – de capital do povo brasileiro – ter financiado grupos estrangeiros para comprarem o que era desse povo. Será por que dinheiro por fora em dólares fica mais difícil de ser rastreado? Na mesma época, qual foi o valor recebido das multinacionais de Petróleo por ter aprovado a lei do REPETRO, entregando de presente às empresas de petróleo estrangeiras o grosso dos fornecimentos futuros para o PRE-SAL?

No mesmo ano dessa lei, a indústria nacional fornecia 92% de todas as necessidades da Petrobras, baseadas em concorrência internacional  e o produto nacional era melhor que o estrangeiro.  Foi um desmanche de 50 anos de trabalho conjunto da Petrobras com a indústria nacional para garantir essa autonomia funcional brasileira, independente de suprimentos externos.

Desgastado e com a inflação subindo novamente por excesso de gastos (estaria ainda pagando o combinado para a re-eleição?), Lula foi eleito e assumiu a Presidência em 2004.

O primeiro mandato de Lula foi também pautado pela austeridade e o País desenvolveu muito, com o aumento do emprego e dos salários. Lula, muito sabido, ampliou o Bolsa Família, que passou a funcionar como uma espécie de compra de votos. Esse programa foi idealizado e iniciado  por D. Ruth Cardoso, antropóloga competente, e não tinha fins eleitoreiros. Para executar o programa do PT de perpetuar-se no poder, precisava de maioria no Congresso e para comprar esse apoio, foi criado o MENSALÃO.

Com esse apoio, estabeleceu-se por Lei a compra com o dinheiro dos trabalhadores da cúpula dos sindicatos, transferindo àquele bando de corruptos, e sem prestação de contas, o FUNDO SINDICAL. Com essa medida, a ação dos sindicatos desapareceu e o Governo estava livre para meter a mão no dinheiro dos trabalhadores.

No segundo mandato de Lula, os antigos comunistas infiltrados no PT afastaram os autênticos trabalhistas e voltaram ao planejamento “padrão comunista” de ir ocupando os postos-chave do Governo, até terem certeza de impossibilidade de reação do povão e então tomarem conta definitiva do Governo, ajudado pela compra do Congresso e transformando o país numa Ditadura do Executivo, tal como na Venezuela, na Bolívia e em outros países latino-americanos, mantendo a justiça, os sindicatos e a imprensa sob controle. Aconteceu que o Mensalão veio à tona e só agora, 8 anos depois, teve algum desfecho, obrigando o PT a mudar a estratégia de compra do Congresso.

Com o prestígio adquirido nos dois anos de governo, Lula conseguiu emplacar Dilma Rousseff Presidenta, embora não tenha sido tão fácil quanto imaginava: a eleição foi decidida no segundo turno.

O Governo de D. Dilma passou a criar quantos ministérios fossem necessários para alocar às diversas legendas dos partidos de apoio no Congresso. Hoje temos 39. Os partidos podem desviar os recursos dos Ministérios à vontade, e nomear seus prepostos para os cargos em comissão. Essa política paga oficialmente a adesão dos partidos e não há riscos de mensalão,  mas custa muito caro. Voltou-se, portanto, à gastança generalizada, voltando a consequente inflação.

Evidentemente teria efeitos  negativos  se começassem a surgir os mal-feitos e, para reduzir  os riscos, o Governo retirou 80% (!!!) da verba anual da Polícia Federal, que certamente não demoraria a enquadrar um monte de petistas e de partidos mancomunados, apesar da proteção descarada do Ministro da Justiça, ao qual a Polícia Federal está vinculada.

A Justiça evita condenar o Governo porque seus Desembargadores querem ficar bem com o Governo para indicações ao Supremo. Além disso, existe uma lei que determina que todos os processos contra o Governo, mesmo que condenado, devem ser submetidos a recursos, até o Supremo Tribunal Federal. Esse absurdo paralisou a Justiça. Hoje 50% dos processos na esfera judiciária são relativos aos Governos.  Justiça demorada é justiça negada. Certamente Lula esperava que o processo do Mensalão fosse dissipado nessa demora. Por acaso, um ministro sério não permitiu. Durou 7 anos, mas julgou-se.

Isso atrapalhou muito o PT que estava imbuído da ideia da compra de picaretas para re-eleger D. Dilma. O problema é que está custando caro demais,  acabou-se o dinheiro do orçamento, o aumento de impostos já não produz a receita necessária e isso está destruindo as empresas nacionais com a consequente redução das receitas orçamentárias. Passaram a vender o patrimônio do país. Primeiro, o Campo de Libra. Agora, seguem os Aeroportos, que são patrimônio do povo e agora estão passando para empresas privadas, pagando bônus em dinheiro ao Governo.  E vão seguir os Portos, e mais Aeroportos e mais Rodovias. Para cobrir a gastança e gerar dinheiro para as eleições, haja criatividade para produzir dinheiro na mão!

A megalomania de Lula aliou-se ao objetivo dos comunistas, que tomaram conta do PT, de perpetuarem-se no poder. Para isso era fundamental re-elegerem D. Dilma,  pois ela é do grupo central, uma ex-guerrilheira comunista, e assim teriam o suporte direto da chefia do Governo  para suas articulações.

A cartilha de ocupação do país pelo comunismo, idealizada há 80 anos atrás, direciona sua atividades para enfraquecer a sociedade brasileira, reduzindo sua economia para acabar com a geração de riqueza e proporcionar o caos, onde eles podem prosperar com suas ações. Nesses 4 anos de governo Dilma, já conseguiram alguns resultados listados na cartilha como:

1- Investimento quase zero e a economia não cresce;
2- nível de escolaridade baixa e bolsas indiscriminadas para o estrangeiro – deixa a mocidade com poucas opções na vida;
3- aumento da criminalidade que ganha as ruas e aos criminosos são garantidos direitos humanos – a violência assusta e aterroriza a sociedade.

Acontece que a sociedade mundial atual não é aquela de 80 anos atrás e o povo brasileiro, que não sabia votar, agora aprendeu e sabe. Essa é a razão das pesquisas atuais mostrarem reiteradamente há 6 meses que 63% dos eleitores querem mudanças e um novo Governo.

D. Dilma está desesperada e partiu para a única política que Lula utiliza para conseguir o que quer – comprar apoio. Distribuiu bondades aumentando o Bolsa Família em 10% e corrigindo a tabela do imposto de renda. Simultaneamente, a Fazenda aumentou impostos nas bebidas para pagar essa conta. Afinal, está querendo enganar quem? Ela distribui bondades ao povo e cobra do próprio povo o pagamento de suas bondades. Que bondade é essa? O povo já deu basta a essa desfaçatez e foi às ruas dizer NÃO – o povo quer mudança.

Mas o que Lula quer é mais do mesmo, pois está com tudo estruturado para criar seu partido único plantando-o definitivamente no país com mordaça, Ditadura do Executivo, e direcionando o país para o atraso – o mesmo sistema da Venezuela. O capital foge de sistemas assim, não se admira que esteja fugindo do Brasil.

Não estou inventando isso. Foi dito por Lula ao vivo e inflamado no Fórum de São Paulo das nações bolivarianas, realizado em Fevereiro de 2014. Basta acessar e confirmar.

Agora ficou evidenciado o divórcio do povo com esse Governo. O povo quer um país para frente, crescendo e se desenvolvendo para que o povo vá melhorando de vida, enquanto o PT-comunista quer estagnar tudo e manter baixa a educação para a sociedade não ter reação ao assalto ao comando do país, idealizado por eles.

Isso nunca deu certo em lugar nenhum do mundo, nem nos lugares onde foram aplicados, nem na Rússia, onde foi concebido. Em Cuba, transformou aquele país, que ostentava padrão de vida dos melhores do mundo, no mais pobre do hemisfério.

O problema é que ambição não tem limite. Não chega ter poder. É preciso ter sempre mais poder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s