Cartilha do neocomunismo

Cartilha do neo-comunismo

“Para predizer o que irá acontecer é preciso saber o que ocorreu ontem”

(Nicolau Maquiavel)

a) Assistencialismo: aumento do bolsa família e subsídios semelhantes – objetivo: plantio de votos para as próximas eleições.

b) Aumento do número de cargos públicos e terceirizados: são estimados 4 votos por grupo familiar do novo contratado.

c) Investimentos do capital privado abandonados: pessoal absorvido pelo serviço público.

d) Aumento substancial dos salários do governo: tem o aplauso dos funcionários e dos respectivos sindicatos.

e) Disparar para cima o custo de vida: objetivo de fidelizar eleitores e semear novos votos.

f) Mídia: através da publicidade oficial garante que os jornalistas terão apenas uma voz, atores, maestros, e artistas dominantes; autocensura é obtida; conhecimento da realidade será inibida.

g) Forças armadas e de segurança: perseguição daqueles que lutaram contra a subversão nos anos 60/70; ações na mídia e acusação penal.

h) Cultura: campanhas midiáticas e instalação de matrizes de opiniões contrárias a personalidades opositoras.

i) Corrupção: conhecimento público são dados para funcionários corruptos de terceira ou quarta linha. Isso tem um duplo objetivo – o impacto social – mostra que o governo não suporta corrupção, e traz fidelidade de parcela da Administração que tem receio de perseguição. Isso, juntamente com funcionários de confiança ou políticos incapazes de encontrar outro tipo de trabalho, fazem dos casos de corrupção reduzidos à cúpula do Governo.

j) Discriminação e direitos humanos: o governo encontra um nicho de eleitores nas marginalizadas minorias – indígenas, homossexuais, transexuais etc. Torna-se importante legislar para eles. O objetivo é a criação de grupos de defesa ideológica para modelar e fidelizar os eleitores. A especulação é promovida com verdadeiras (ou falsas) acusações de discriminação no trabalho – criação de conflitos.

k) Revisão do passado: evocação permanente das ditaduras militares do passado e dos governos antidemocráticos. Objetivo: recriar a imagem de um inimigo inexistente hoje, porém temido. Instalar-se como única opção para o governo.

l) Desvalorização de símbolos patrióticos: mudança de bandeiras, símbolos, hinos.

m) Aumento exponencial da criminalidade comum: crime é uma ferramenta essencial à implantação do neocomunismo. A violência assusta e neutraliza. Isolar e prender possíveis protestos de trabalhadores da classe média. Os criminosos é que ganham as ruas.

n) Desarmamento da população civil: ao mesmo tempo, a mesma delinquência será, no futuro, mão de obra barata para o narcotráfico.

o) Desmantelamento progressivo das Forças de segurança: campanhas de difamação por suposta corrupção. Falta de equipamento e autoridade para realizar a tarefa. Garantir os direitos humanos dos criminosos.

p) Impunidade dos criminosos: juízes de 1ª. instância fortalecem a impunidade, ao concederem benefícios penais. Instigação ao cometimento de crimes por menores inimputáveis. Oposição começa a fragmentar-se e alinhar atrás e ao lado das decisões. Não há referências.

q) Igreja: começam os confrontos com as autoridades da igreja católica e cristãs.

r) Ocupação de fábricas e promotores inoperantes ou terras privadas: como um prelúdio para desapropriação, o capital estrangeiro começa a deixar o país. Paralisa-se totalmente o investimento.

s) Perseguições da mídia a empresários nacionais: nacionalização de empresas privadas. A classe média não é capaz de organizar-se em oposição.

t) Aumento das ONGs de esquerda: criação de redes transnacionais para assediar os opositores. Criação de grupos de choque. Usar como suporte a violência sem armas. Utilização de modelos em atos políticos e em atos públicos para neutralizar a oposição. Associação a certos setores de esportes e drogas.

u) Educação: Criação de novas universidades. Bolsas indiscriminadas. Grupos ideologicamente de esquerda para suportar o regime. Nesse ponto o nível da escolaridade – e da qualidade do conhecimento – será muito baixa em todos os níveis de escolaridade.

v) Aumento do imposto de renda e riqueza: esses impostos alcançarão trabalhadores com salários médios e médios-baixos com fins confiscatórios. Se aplicam à redistribuição da riqueza, mas servem para manter e financiar o sistema.

w) Aumento do consumo de drogas e do tráfico: Novas pistas clandestinas. Aumento de acidentes aéreos devido à sobrecarga. Nascimento de uma nova classe de ricos, jovens em sua maioria com menos de 40 anos.

x) Censo habitacional: seu objetivo é conhecer a quantidade de habitações desocupadas e as famílias com mais de uma habitação. Os dados são gravados para a terceira fase.

y) A fragmentação das forças sindicais: os líderes não-alinhados com os dissidentes do regime emergente são removidos para formar Sindicatos independentes, sem o menor êxito.

z) Quebra do sistema de saúde: os provedores de saúde privados não conseguem prestar serviços de qualidade em um ambiente com aumento de inflação e altos custos de salários e riscos ocupacionais. Serão quase obrigados a vender seus negócios a preços vis ou serão estatizados. Hospitais públicos estaduais serão setores inferiores médio-baixo, médio e médio-alto, com o consequente colapso do sistema.

Você se pergunta: mas será que isso está acontecendo?

Confira a matéria no link da CartaCapital.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s